Sindjorce e FENAJ repudiam demissões no Grupo O Povo de Comunicação

nota-repudio-opovoO Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) vêm a público repudiar a demissão imotivada de 11 jornalistas do Grupo O Povo de Comunicação, sendo oito do jornal e três da TV O Povo.

A Diretoria do Sindjorce hipoteca solidariedade aos trabalhadores demitidos, colocando a assessoria jurídica à disposição para acompanhar as homologações e prestar todos os esclarecimentos necessários acerca dos direitos dos colegas.

É lamentável que, em plena campanha salarial, o Grupo O Povo lance mão do discurso de crise para dispensar sem justa causa jornalistas veteranos, entre eles profissionais com mais de 20 anos de casa.

Ao mesmo tempo, sob o pretexto de falsos estágios, o Grupo O Povo contrata cada vez mais estudantes para atuarem como profissionais, pagando bolsas irrisórias e publicando matérias de jovens que deveriam ter sido acompanhados nas pautas por jornalistas experientes.

Em vez de investir na inovação, na qualidade dos produtos jornalísticos e, sobretudo, na qualificação dos profissionais, o Grupo O Povo demite e precariza ainda mais as relações de trabalho. Aos colegas que escapam das demissões, cobra-se trabalho duplicado, exacerbando a multifunção, sem qualquer reconhecimento remuneratório.

O Sindjorce e a FENAJ continuam a luta ferrenha pela valorização da profissão de Jornalista. Nossa defesa dos empregos e dos salários dos profissionais é também a defesa do Jornalismo – uma atividade fundamental para a sociedade, que requer, para continuar existindo dignamente, condições de trabalho adequadas, trabalhadores bem remunerados e com direitos respeitados.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para Rosa Sá Cancelar resposta